domingo, 31 de agosto de 2014

Crónicas da despedida de solteira

Já era para vos ter vindo contar como foi, mas de manhã estava meio adormecida, porque acordei por volta das 7.30 da manhã e após o almoço fui passear. Ora bem, vamos então lá:

Fui a primeira a chegar, 2 minutos antes das 20h. Depois, lá encontrei pessoas que percebi que estavam para a mesma despedida de solteira que eu, todas primas da noiva, todas pessoas que se conheciam e que eu não conhecia. Às 20.30, entrámos no restaurante, um lugar simpático e que ia ter animação após o jantar (música e karaoke). 
Quando a noiva chegou, felizmente, o lugar onde se sentou foi ao pé de mim - calhou assim porque todas as outras queriam estar juntas eu só me queria sentar - o que fez com que fosse possível falar com alguém.
Enquanto jantava, fui ouvindo as conversas que existiam na mesa, não me encaixando em nenhuma. Porque não me encaixei? Primeiro, porque, normalmente, nunca me encaixo, mas isso não me incomoda, honestamente. Depois, porque eram todas mais velhas que eu, falavam de assuntos que não partilho, como divórcios, homens que traem, entre outras coisas. Não tenho experiência com nada disso, já que o meu namorado é o melhor do mundo e só tenho coisas boas e fantásticas a dizer sobre ele. A noiva ainda me disse "tens de socializar, mulher!". Bom, aquilo era eu a socializar, sentada na minha cadeira a ouvir as conversas e a responder a algo se alguém me fizesse uma pergunta. 
Depois do jantar, foi a vez dos jogos. Algumas de nós tínhamos feito balões com frases para a noiva adivinhar que tinha escrito. Ela adivinhou mais de metade das frases e abriu uma prenda. Um apito, comprado na Ale -Hop, podem imaginar o que era. Em seguida, veio o segundo jogo, onde cada uma tinha uma pergunta feita ao noivo e a resposta, se a noiva errasse fazia um desafio, se acertasse quem fez a pergunta é que fazia um desafio. Felizmente, quando eu lhe fiz a pergunta ela errou e eu não precisei de fazer nenhum desafio.
Houve dança, karaoke e risos.
A noiva divertiu-se imenso, notava-se mesmo. 
Na altura das prendas, a minha foi a única que a surpreendeu, porque não era nada comprado na Ale-Hop e ela não esperava pelo que foi.

Para mim, pessoalmente, não foi mau, foi interessante participar de uma coisa assim, mas não fiquei com vontade de repetir. Não é a minha praia, honestamente. Não houve nada de escabroso, nem bebedeiras, nem nada, até foi calmo. 
Algumas delas ainda foram para um Bar, após sairmos do restaurante, mas eu vim para casa. Tinha a cabeça a ecoar devido à música alta que estava ao pé de mim e sentia-me cansada. 

E foi assim, a primeira despedida de solteira a que fui.

6 comentários:

Cátia disse...

Poderia ter sido muito pior! ;)Também sou do género de ficar a ouvir a conversa... :) beijinho

Ana Rita disse...

Se não estiver com os meus amigos, aqueles com quem sou completamente eu, também fico sempre a ouvir conversa do que a fazê-la!!

Ana Rita disse...

Ainda bem que ela gostou da prenda :D

Sara Moreira disse...

Tamb fui a uma, mas foi super calminha - sessão de fotos, jantar e depois passeio pela praia :P Mas como a noiva era a minha prima estava um pouco mais à vontade.

Lea disse...

Também gosto de ficar a ouvir as conversas e a imaginar a vida das pessoas :D

Kiara disse...

Nunca fui a uma despedida de solteira, e acho que se um dia me casar, não vou querer uma... um jantarzinho ou um café entre amigas no dia antes, só para diminuir a ansiedade, ainda vá lá, mas mais do que isso não xb